Enews And Updates

5 coisas que todo fotógrafo deve ter

Os fotógrafos, sem querer, ganham uma mania de aquisição depois que entram de vez na Fotografia. Entre câmeras novas, lentes de alta qualidade, notebook, celular com câmera e outros brinquedinhos, o que realmente é necessário para um fotógrafo? 


Para resolver essa questão tão impertinente, fiz uma pequena lista de cinco coisas que realmente todo fotógrafo deve ter. 


1 - Lente 50mm


A lente 50mm é a queridinha dos fotógrafos. Depois que se compra a câmera, a primeira lente a se adquirir, na grande maioria das vezes, é a 50mm f/1.8. Por ela ser barata, eficiente e de grande qualidade torna-se o primeiro desejo de consumo dos fotógrafos. E te digo: depois que comprar a 50mm você verá o mundo de outra forma. 

2 - Mochila


Uma boa mochila é equipamento necessário. Afinal, de nada adianta ter um monte de equipamento top de linha sem ter onde carregar. Mas além,de carregar é preciso carregar com segurança. 

3 - Tripé


Algo que sempre irá ter serventia é o tripé. Independente da área que queira atuar ter um tripé de extrema importância. Apesar do preço salgado, é preciso pensar da certa forma: é melhor pagar um pouco mais em algo com uma qualidade de material e que irá te garantir uma durabilidade e eficiência, do que gastar pouco e ficar na mão com o equipamento. Então, invista num Manfrotto. 

4 - Notebook


Não poderíamos deixar de fora o notebook (laptop). Afinal, entre tantas utilidades deste computador portátil, a principal está em uma fonte segura de backup. Ter um notebook irá adiantar muito sua vida.

5 - Celular (com câmera)


Aos fotógrafos que não andam com a câmera direto, o celular com câmera é a melhor maneira de não perder um clique. Com os avanços tecnológicos, as câmeras dos celulares ganharam qualidade na imagem final e estão rendendo muitos fotógrafos a brincarem de fotografar com essas minúsculas câmeras. 

Dicas - I

10 dicas básicas na hora de fotografar



1- Faça-se a Luz!
Repare na iluminação do ambiente, tente perceber de onde vem a luz e onde ela é mais forte e onde há mais sombras. Também fique atento na fonte de luz do lugar (sol, lâmpada fluorescente, lâmpada incandescente etc). Em toda câmera há um ajuste para cada tipo de luz (white Balance), se ajustarmos errado a foto podera sair mais avermelhada ou mais azulada. Deixar no Auto geralmente resolve o caso, mas talvez tenhamos que ajustar.
2- Tudo em Quadro!
Sempre que olhamos pelo visor das câmeras vemos exatamente o que aparecerá na foto, então é uma boa idéia checar bem o que aparece em quadro, pra termos certeza que não cortaremos nenhuma cabeça, nenhum pé, e também para avaliarmos se todos os elementos em quadro estão em equilibrio (em uma foto mais artística).
3- Tripé ou na Mão!
Dependendo da cena que fotografamos, teremos que avaliar se dá para fotografar com a câmera na mão ou se é necessário fazer uso de um Tripé para estabilizar a câmera ou atingir mais fácilmente certos ângulos. Exemplo: Festa a noite, você tem uma câmera compacta que ajusta automaticamente a abertura e velocidade. É melhor ter um tripé para garantir as boas fotos. Outro exemplo: Você está fotografando objetos em cima de algum lugar ou fazendo fotos estilo “Book” (modelos). o Tripé pode te ajudar bastante, pois você pode travar a câmera em um ângulo, altura e enquadramento.
4- Se não há Luz, há Flash!
O flash pode resolver alguns problemas, mas também pode causar muitos outros. A escolha de usar ou não o flash só pode vir do fotógrafo. Onde o flash ajuda: festas; onde há pouca luz, nenhum tripé ou sem controle do ISO; para congelar certas imagens (se estiver muito escuro a única luz que entrará na câmera é a do flash. Onde o flash atrapalha: torna díficil tiriar fotos rápidas em sequência; pode causar olhos vermelhos; pode causar brilhos inesperados em certos objetos, estragando a imagem; pode causar superexposição; a longas distâncias não faz a menor diferença, pois o flash tem um limite de distância que ele ilumina.
5 – Olho no Olho!
Para uma fotografia básica de retratos é legal sempre posicionar a câmera na altura dos olhos da pessoa a ser fotografada, pois assim, quando olharmos para a foto parecerá que estamos olhando para a pessoa, a imagem ficará mais bonita e mais agradável.
6- Você é Livre!
Se encontrar uma boa cena para fotografar, não se contenha. Fotografe-a! Não deixe para lá só porque alguem entrou na sua frente, peça licença. Não tenha vergonha, agache-se, suba em bancos, procure o melhor ângulo para sua foto. A pior coisa para um fotógrafo é o arrependimento por não ter feito um clique que gostaria de fazer!
7- Na Frente e no Fundo!
Antes de bater a foto, repare nos objetos em quadro. Perceba o que está em primeiro plano e o que está em segudo plano. A profundidade é essencial e os elementos que a compõem são importantíssimos. Veja se tudo está em harmonia e equilibrio.
8- Tanto na Vertical quanto na Horizontal!
Certas cenas pedem a câmera na vertical, repare nas linhas da cena que irá fotografar. Exemplo: ao fotografar um caminho entre várias árvores, as árvores são linhas verticais predominantes na cena, então é boa idéia experimentar fazer essa foto na vertical. Outro exemplo: Fotografar o mar de um lugar alto, pegando o horizonte. As linhas do mar, do horizonte e das nuvens são horizontais, portanto essa foto ficará mais interessante na horizontal. Claro que nada impede o fotógrafo de inclinar a câmera ou procurar deiferentes posições, lembre-se da dica 6 “Você é Livre!”
9- P&B!
Fotos coloridas, muitas vezes, passam beleza, alegria, vida. Mas experimente tirar fotos em Preto e Branco. Qualquer câmera hoje em dia tem a opção de tirar fotos em preto e branco, descubra onde fica esse recurso na sua. As fotos em P&B (ou B&W, Black and White) tem peso e carga dramática muito grandes. Podem, literalmente, transformar sua imagem.
10- Teste e Estude!
Sair tirando fotos de qualquer coisa é um erro, não ajuda em nada e só torna o fotógrafo preguiçoso. Mas aproveite a facilidade das câmeras digitais de tirar e apagar fotos para fazer testes, pense nas dicas , escolha uma boa cena e tire diversas fotos dela, faça testes. Não clique por clicar, mas clique conscientemente pensando no resultado final. E pequenas coisas podem ser arrumadas com softwares de tratamento de imagens, eu recomendo o Gimp que é gratuito, leve e resolve a maioria dos problemas.

Câmeras compactas

Como escolher uma câmera compacta?



Câmeras compactas são aquelas que vemos a todos os momentos, são pequenas, leves, basta apertar o botão para bater a foto e o preço fica entre R$300,00 e R$1.200,00 geralmente. Elas são para quem:
-Quer uma camera fácil de carregar e usar.
-Não dispõe de muito dinheiro para investir em fotografia
-Quer boas fotos sem muitos ajustes.
-Não sabe sobre velocidade e abertura do diafragma, exposição.
-Quer uma câmera prática para o dia-a-dia.
O que devemos prestar atenção na hora de escolher nossa compacta:
1- Mais megapixels não significa câmera melhor. Só significa que as fotos ficam maiores, mais pesadas e necessitam de mais espaço para armazenar. Se você não pretende imprimir/revelar fotos ou se for faze-lo não passará de 20×30 uma de 10 Megapixels está mais do que ótimo.
2- As lentes trazem muita informação. Ao olhar para as lentes há diversos números, uns se parecem com 1:2.8 – 3.7que indicam luminosidade da lente (quanto menor melhor). E outros se parecem com 28mm ou 42 – 84mm que indicam a distância focal, ou seja, o ângulo de visão da lente. O olho humano tem uma distância focal de 50mm, o que estáabaixo disso é chamado de Grande Angular (próprios para paisagem) e as que distâncias focais acima de 50mm são chamadas de Teleobjetivas (próprias para detalhes). Então de acordo com suas preferências escolha a distância focal que mais lhe agradar.
3- Recusros que valem muito. Há alguns recuros que merecem nossa atenção, como fotografar em cores, Preto e Branco ou Sépia. Controle de cores e iluminação que diferenciem luz solar de lâmpada fluerescente e de lâmpada incandescente para não distorcer a cor (fotos amaleradas ou azuladas). Opção de fotografia em Macro, ou seja, focar objetos a 40 ou mesmo 25cm de distância (recurso muito interessante). Recurso que diferencie foto em velocidade, paisagem, retrato etc.
4- ISO. ISO é a sensibilidade do sensor à luz, ou seja, quanto maior o ISO menos luz é necessária para a foto, porém com um ISO muito grande (3200, 1600) pode haver granulação e perca de qualidade na foto. Uma camera que te permita controlar o ISO é uma boa opção (juntamente com as dicas acima).
5- Recursos extras que contam pontos. A batalha da industria de cameras digitais faz com que alguns modelos apresentem alguns extras bem interessantes, como cameras a prova de água (algumas chegam a resistir até 10m de profundidade), resistentes a quedas, poeira, choques mecanicos etc. Cheque também se a camera possui Mega OIS (também pode vir com o nome de Shake Reduction, IS, Anti-Shake etc) que é o recurso que evita as fotos de sairem tremidas ou borradas.
6- Zoom óptico X Zoom Digital. Esqueça o Zoom Digital, finja que ele nem existe. O único que conta é o Zoom óptico que é o zoom da lente, o zoom digital é um zoom que distorce a foto e estraga a imagem.
7- Alguns cartões de memória só servem para uma câmera. Por isso procure câmeras que usam cartões de memórias mais fáceis de encontrar e de intercâmbiar entre outras cameras. Por exemplo, o Micro-SD é muito bom, pois pode-se adapta-lo para mini-SD ou SD com adaptadores fáceis de encontrar e baratos, e servem para vários dispositivos como filmadoras, celulares, outras câmeras etc. MemoryStick é outra opção, menos usual que o SD mas ainda assim muito usual.
8- Baterias podem causar muitas dores de cabeça. Se você viajar muito, prefira câmeras com pilhas, pois assim você poderá ter algumas recarregaveis e algumas normais para caso esteja em algum lugar sem eletricidade. Se não for o caso, uma câmera com bateria interna recarregável por usb é uma ótima opção também, pois assim poderá recarregá-la no próprio computador ou por qualquer cabo USB comum.
9- Peso X Altura X Largura. Cheque também o peso da camera, as dimensões, mas cuidado, cameras finas demais podem não ter nenhum recurso, fique atento.
É mais ou menos isso, com essas dicas é possível escolher uma boa câmera que se adapte ao seu modo de viver e fotografar.

O que é ISO?


Em fotografia analógica, ISO (ou ASA) é a indicação do quão sensível é o filme para a luz, sendo representado por números (100, 200, 400, 800...). Quanto menor o número, menor a sensibilidade do filme para a luz, e menos granulada sua imagem será.
Em fotografia digital, o ISO mede a sensibilidade do sensor, e o mesmo princípio aplicado à fotografia analógica é aplicado na fotografia digital. Altos valores de ISO são geralmente usados em situações de pouquíssima luz, para se usar tempos de exposição menores, e assim, não obter fotos borradas ou tremidas. Mas o custo será a obtenção de fotos com mais ruído.

Observe as duas imagens a seguir:





A primeira foto foi tirada usando um ISO 100, enquanto a segundo foi tirada com um ISO 3200. Comparando-as, é possível ver que as fotos tiradas com valores de ISO baixos são muito mais limpas e suaves. O ISO 100 geralmente é aceito como 'normal', e irá lhe proporcionar fotos com baixas taxas de ruído.

Ao selecionar um ISO específico, isto terá impactos na abertura e na velocidade do obsturador necessários para se ter fotos bem expostas. Por exemplo, se você mudar seu ISO de 100 para 400, você notará que velocidades mais altas poderão ser usadas e/ou aberturas menores. Se estiver em dúvida, e não sabe qual ISO usar, faça para si mesmo as seguintes perguntas que poderão te ajudar:

- Estou segurando a câmera ou usando um tripé? - Ao utilizar o tripé, você terá mais estabilidade, então poderá usar tempos de exposição inferiores, permitindo baixar o ISO.
- O assunto está em movimento? - Se o seu assunto está parado, e a máquina está apoiada em um tripé, poderão ser usandos baixos valores de ISO.
- Preciso de profundidade de campo? - Caso você não precise de grandes profundidades de campo, você poderá aumentar a abertura do diafragma, permitindo valores de ISO baixos.
- Em qual tamanho usarei a foto? - Caso você não vá utilizar a foto em grandes tamanhos, como em grandes impressões, você poderá usar valores de ISO mais altos, pois o ruído provocado pode não ser perceptível em pequenos tamanhos.
Note que isto se aplica somente aos casos em que os modos manual ou semi-automáticos estiverem sendo usados. Quando o modo automático é selecionado, a câmera irá selecionar o menor valor de ISO possível para você. Experimente diferentes configurações e compare os resultados obtidos, pois eles podem variar muito em diferentes modelos de câmeras. Em geral, as câmeras compactas geram muito mais ruído que as profissonais, principalmente devido às suas dimensões reduzidas. Como seus sensores são pequenos, cada pixel capta menos luz, gerando imagens mais granuladas.
O ISO é um aspecto muito importante na fotografia, e é necessário que você o conheça para ter maior controle sobre sua câmera e sobre a qualidade de suas fotos. 

Fotografia - I

O que é ISO?



Antigamente, antes do advento das populares máquinas digitais, todas as máquinas fotográficas trabalhavam com um filme fotográfico que tinha um certo número de poses (fotos a serem tiradas), 12,24,36 etc e uma ASA ou ISO. Você colocava esse filme na máquina, e batia todas as poses, o filme rebobinava, você tirava ele da máquina e levava para uma reveladora. Essa última parte continua mais ou menos igual, só que em vez de leval o filme nós levamos um pendrive, um cartão de memória, um CD e por aí vai.
Quando se comprava um filme e colocava-o na máquina, era necessário gasta-lo, bater todas as fotos antes de tira-lo de lá, senão perdia-se o rolo todo. Então quando colocavamos um filme de 24 poses e ASA 100 era necessário tirar as 24 fotos e todas sairiam com ASA 100. Mas o que é ASA 100?
ASA, agora chamado de ISO (International Standard Organization) é a sensibilidade do filme à luz, ou seja, quanto maior o ISO menos luz era necessária para escurecer os sais de haleto de prata, componente responsável por fixar a luz no filme nos dando uma foto. Hoje em dia o processo final mudou, mas a finalidade é a mesma. Nas máquinas digitais obviamente não existe mais filme (e sim um sensor que capta a luz), portanto não existe mais sal de haleato de prata. Entretanto, o papel do ISO continua o mesmo, tornar o sensor mais sensível a luz, portanto quanto maior o ISO menos luz é necessária e o contrario também é verdadeiro.
Mas há muito mais no ISO. Quanto maior o ISO, menor a nitidez. Aumentar o ISO aumenta a sensibilidade, mas também ocorre perda de resolução e nitidez.
Com um ISO 100 temos bastante nitidez, mas é necessário um dia ensolarado ou diafragma aberto e longo tempo de exposição. Um ISO alto como 800, 1600 ou até mesmo 3200, nos dá maior liberdade na hora de mexer com o diafragma e o obturador. Nos permite fazer fotos com curto tempo de exposição (1/800) e boa Distância Focal (f18). Nessas condições com um ISO 200 a foto provavelmente sairia escura, mas em um ISO 3200 ela sai com uma boa claridade, porém, como ja mencionado, com perda de resolução.
O ISO ideal para o dia-a-dia é o 200 ou até um 400. Para dias ensolarados, praias etc, um ISO 100 é mais recomendado. Para fotos internas onde não queremos usar o flash, recomenda-se um ISO 800. Para shows, teatro ou lugares escuros onde o flash é proibido ou inútil devido a distância (palcos etc), podemos usar um 1600 ou 3200, há cameras que chegam até 6400. No caso de shows, as vezes a perda de nitidez (ou granulação) é um fator irrelevante.
Por hoje é só, no próximo post daremos sequência as dicas de fotografia falando dos diferentes formatos  de arquivo que as câmeras gravam (jpg, raw, hibridos, tiff…).

Até mais!

Lidar com clientes....

                                                               




Com certeza é uma batalha dura enfrentada por todos fotógrafos, principalmente quem está começando como eu.
Somos explorados até mesmo inconscientemente pelas pessoas. Muitos dizem que após a fotografia digital, ficou muito mais fácil de conseguir fotos e todo mundo hoje tem aquele “sobrinho que pode fazer as fotos de um Mega evento” ao invés de você, fotógrafo profissional. Fotógrafos que estão a mais tempo na área geralmente entram em conflito com os que estão começando e cobram preços muito baixos, mas isso não vem ao caso. 
A realidade é que as pessoas tendem a subestimar o trabalho dos Fotógrafos. 
“Queria que você fizesse umas fotinhas do meu evento, nada demais, só para recordação…”
Com quem está começando é pior ainda. As pessoas se sentem no direito de não pagar, ou acham que apenas os créditos são suficientes. ( Na verdade crédito não é pagamento, ele é garantido por lei, então é uma obrigação.)
Já recebi ofertas desse tipo. Também já me perguntaram quanto eu cobrava e quando falei o preço ( que também não era alto, era muito abaixo do preço de profissionais ), falaram que não poderiam pagar tudo isso.

Introdução a fotografia

Ola,

Irei colocar essa semana no blog posts focado mas em fotografia, explicando em geral sobre câmeras, quais equipamentos usar no inicio, explicar os conceitos básicos sobre fotografia. O conteúdo é para quem esta começando e não tem base nenhuma, ou para quem apenas quer revisar conceitos básicos.